São Paulo e Grêmio ficaram no empate por 1 a 1, na noite desta segunda-feira, no Morumbi, resultado ruim para os dois lados. O Tricolor gaúcho perdeu a chance de encostar no Corinthians, líder da competição, e ficou oito pontos atrás – a diferença poderia ter caído para seis. Já o Tricolor paulista desperdiçou a oportunidade de deixar a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

O resultado levou os são-paulinos a 16 pontos, na antepenúltima colocação da tabela. O Atlético-PR, primeiro time fora do Z-4, soma 17. Já os gremistas ficaram nos 32 e, além de não encostarem no Timão, que tem 40, agora já observam a aproximação de Santos (30) e Flamengo (28).

O JOGO

O primeiro tempo foi praticamente de um time só. E acredite: não era aquele com mais posse de bola. O Tricolor paulista passou 60% do tempo com ela, mas quase não finalizou ou criou lance de perigo a Marcelo Grohe. O motivo? O Tricolor gaúcho “amassou” os donos da casa, com marcação pressão e proposta muito mais incisiva. Não à toa, roubou quase o triplo de bolas (14 a 5) e finalizou o dobro (4 a 2).

Em um desses arremates, Pedro Rocha abriu o marcador, aos 19 minutos. E o Grêmio só não ampliou, aos 42, porque Renan Ribeiro, em “homenagem” a Waldir Peres, ex-goleiro são-paulino falecido no último domingo, fez linda defesa em chute do volante Maicon, que conhece bem a casa.

Dorival Jr. tentou mudar o São Paulo com duas alterações logo no intervalo. Jucilei e Jonatan Gomez deram lugar a Cícero e Lucas Fernandes, respectivamente. Com isso, Cueva saiu do meio e foi para a esquerda. O gol de empate veio justamente por ali. O peruano enfiou para Edimar, que cortou a marcação de Ramiro e cruzou para Pratto. O argentino parou em Marcelo Grohe, mas Lucas Fernandes levou a melhor no rebote: 1 a 1. No fim da partida, os donos da casa ainda reclamaram de um suposto pênalti não marcado em cima de Gilberto.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA