foto
SONY DSC
SONY DSC

Revolta de servidores públicos contra “vereadores” ainda rende nas redes sociais

A indignação e a revolta não permitiram aos servidores públicos municipais de Penedo, se calarem diante do fato  histórico e lamentável que aconteceu na sessão extraordinária do Poder legislativo Penedense na tarde de ontem-feira(12). É que essa reunião, serviu para que aquela casa legislativa colocasse em votação o tão badalado, discutido  e criticado projeto de lei que visa a implantação por parte do município do regime próprio da previdência.

Quando tudo parecia certo, quando o servidor público acreditava que venceria aquela batalha  por 8 votos contra 6, eis que começa a votação colocada pelo Presidente Junior do Tó. Foi  facultada a palavra para quem dela quisesse fazer uso. Os vereadores  Nelsinho, João Lucas, Fagner Matias e  Ernande Pinheiro ratificaram  as suas posições de votarem  contra o projeto, enquanto Marival Oliveira substituindo Valdinho  não teve dificuldade  para seguir a posição do companheiro e dizer  que votaria contra sendo acompanhado por Edivaldo e Roberto da Farmácia.

Nesse intervalo de tempo,  o vereador Nelsinho sugeriu a mesa que a votação fosse aberta e nominal, no que foi colocado em votação sendo o pedido do edil derrotado com o voto de minerva do Presidente Junior após empate em 7X7. Em seguida,  a mesa colocou sem muita discussão em primeira  votação o Projeto onde  o resultado foi de 7X7, tendo sido decidido mais uma vez pelo voto de minerva do Presidente Junior que votou a favor da matéria.

A vergonha nessa votação segundo os servidores, foi nada mais, nada menos do que o vereador e servidor Macaxeira que todos confiavam e tinham como voto certo, mas esse para eles  decepcionou  e envergonhou toda a categoria votando pela aprovação do projeto aumentando ainda mais a indignação e a revolta daqueles servidores que atribuíram a derrota ao mesmo.

Essa aprovação do Projeto da Previdência Própria, levou  muitos servidores  a choros e prantos. No final  da sessão que foi por voltas da 15:30,  a Praça Barão de Penedo  ficou lotada de servidores, familiares e amigos a espera dos Vereadores classificados por eles  de traidores e judas uma alusão ao tempo quaresmal e Semana Santa.

Tomado pela fúria, servidores  em tom de protesto fizeram em frente a Câmara o uso da palavra e ficaram a espera da saída dos Vereadores que votaram a favor do projeto para dá um recado direto. O clima ficou quente,com vários discursos duros e dirigidos tanto aos vereadores para eles traidores e judas, quanto para o gestor. Os parlamentares em tela, ficaram horas e horas confinados dentro da casa esperando os ânimos se acalmarem, mais isso não aconteceu com esses edis sendo obrigado a sair daquele poder já no período da noite numa vã, escoltado por 8 viaturas da policia e 20 militares  num episódio histórico e lamentável para a vida política penedense. Vale salientar, que o Vereador Edivaldo Santos, passou mal antes da sessão recebendo atendimento médico durante a reunião por parte da companheira servidora Drª Ana Fernanda.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA