Maciel Oliveira foi reeleito Secretário Geral do Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco na plenária r

O penedense Maciel Oliveira foi reeleito Secretário Geral do Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco na plenária realizada nesta terça-feira, 20, em Salvador. A chapa vencedora, intitulada “O Rio São Francisco Vive”, foi encabeçada pelo atual presidente Anivaldo Miranda, tendo Wagner Soares Costa como vice-presidente até 2016.

Em agradecimento, o presidente Anivaldo Miranda comemorou a “convergência” manifestada na escolha de sua chapa, sem disputa, o que, segundo ele, faz aumentar a responsabilidade dos escolhidos. “Temos a obrigação de honrar o cargo que vamos ocupar, representando os que nos escolheram e também aqueles que não apresentaram uma segunda chapa e resolveram apoiar a nossa indicação. Aqui não houve vitória nem derrota. A luta é uma só”, disse o presidente.

Numa alusão à Copa do Mundo, que ocorrerá no Brasil em 2014, Miranda destacou os desafios que serão encarados daqui para frente: “Já se disse que em time que está ganhando não se mexe. Posso dizer que esse time vai continuar jogando muito bem. Se o Brasil não ganhar na bola durante a Copa, vamos ganhar nas águas do São Francisco”, disse.

A eleição ocorreu em clima de normalidade democrática e mediante o consenso dos membros. A novaDiretoria Colegiada foi eleita com 47 votos a favor, quase a totalidade do plenário, uma vez que foi computado apenas um voto contrário e uma abstenção.

“Chego aqui com três eixos de responsabilidade. A responsabilidade de ser representante da região do Alto São Francisco, que me indicou. A responsabilidade de representar todos os usuários. E a responsabilidade de apoiar o trabalho que Anivaldo vem realizando, assumindo o compromisso de transformar o comitê num ente que represente a luta pela vida do São Francisco”, observou o vice-presidente Wagner Soares Costa.

O secretário José Maciel Oliveira agradeceu a confiança, manifestou o orgulho de fazer parte do comitê e destacou a presença do representante indígena Uilton Tuxá no CBHSF. “Meu compromisso será em defesa do Velho Chico”, assegurou.

Antes da posse, precedendo o discurso de Anivaldo Miranda, os coordenadores das CCRs se manifestaram sobre a responsabilidade a ser encarada daqui para frente. “Ou o rio vive ou o rio morre. Não há meio termo. Não existe o rio meio vivo ou meio morto”, disse Carlos Eduardo Ribeiro, que foi reconduzido à coordenação da CCR do Baixo.
por Redação com Assessoria

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA