Ritos e cânticos afros abriram os trabalhos do carnaval penedense nesta sexta-feira, 28, com a lavagem do Beco da Preguiça e das escadarias da Igreja do Rosário dos Pretos, construída por escravos. Ao contrário da época da segregação racial, a mistura entre todas as etnias está presente na festa que exalta ainda o sincretismo religioso, uma das características da gente que faz a nação brasileira com sangue, suor e festa.  As imagens são de Cone Freire.

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA