FOTO

Circuito Penedo de Cinema premia vencedores de mostras competitivas

unnamedNa noite deste sábado (11), o público conheceu os vencedores das mostras competitivas do Circuito Penedo de Cinema. Em solenidade especial na Sala de Exibições, montada na Praça 12 de Abril, os vencedores receberam cheques simbólicos com os prêmios da 4ª Mostra Velho Chico de Cinema Ambiental, 7º Festival Universitário de Alagoas e 10º Festival de Cinema Brasileiro.

No que se refere à 4ª Mostra Velho Chico, o júri popular elegeu como vitorioso o filme Pedro e o Velho Chico, dirigido por Renato Gaia (MG); já o júri oficial consagrou o 1º lugar ao filme, A Piscina de Caíque (dir.: Raphael Gustavo da Silva, de Goiás); em 2º lugar, Latossolo (dir.: Michel Santos, da Bahia) e no 3º lugar, para Manancial (dir.: Bruno Soares, da Paraíba) e Animais (dir.: Guilherme Alvernaz, de São Paulo).

Michel Santos, que ficou em segundo lugar, agradeceu pela vitória e disse que o cinema mudou a vida dele. “Esse é meu primeiro filme, existia uma vontade na gente de expressar coisas no mundo e às vezes a gente não consegue isso. Mas… O cinema mudou minha vida em dois anos e eu acho que, mais do que eu possa falar aqui, é dizer que a gente tem potências e acho que as pessoas não precisam usar o cinema na sua vida, mas sim o coração, a vontade, o desejo de fazer. Eu to muito feliz de ser honrado com esse prêmio e façam os filmes de vocês, mandem pro mundo, pra gente poder mudar as coisas!”, vibrou.

Já no 7º Festival de Cinema Universitário de Alagoas, o júri popular deu a vitória ao filme Desaparecido (dir.: Guili Mink, de São Paulo); quanto ao júri oficial, o melhor filme escolhido foi Autofagia (dir.: Felipe Soares, de Pernambuco). Solito (dir.: Eduardo Reis) e A Rua das Casas Surdas (dir.: Flávio Costa e Gabriel Mayer, todos do Rio Grande do Sul) receberam menção honrosa.

Guili Mink brincou com a vitória. “Eu queria agradecer, estou muito feliz, esse é o primeiro festival que o filme passou, e receber esse prêmio coroa uma experiência incrível, que foi a de conhecer Penedo. Se eu soubesse que ia ganhar teria vindo de calça”, disse, arrancando risos e aplausos.

Quanto ao 10º Festival do Cinema Brasileiro, o júri popular escolheu Uma Balada Para Rocky Lane (dir.: Djalma Galindo, de Pernambuco); já a escolha do júri oficial, sagrou em 1º lugar, o filme Quando Parei de me Preocupar com os Canalhas (dir.: Tiago Vieira, de São Paulo); em 2º lugar, Frequências (dir.: Adalberto Oliveira, de Pernambuco) e em 3º lugar os filmes Super Frente, Super-8 (dir.: Moema Pascoini, de Sergipe) e Teresa (dir.: Nivaldo Vasconcelos, de Alagoas).

O vencedor Tiago Vieira fez um alerta a todos os presentes quanto à realidade que vivenciamos nos dias de hoje. “O filme é uma ficção, mas mais do que nunca a gente tem que se preocupar com canalhas hoje. A gente tem que se mexer, se levantar, não adianta postar no Facebook, tem que ir pra rua. Obrigado ao festival, é lindo o festival. E hoje eu recebi uma mensagem da minha mãe, dizendo que eu tinha vindo aqui com 6 anos, não lembrava e agora um retorno nostálgico e estarei aqui todos os anos visitando essa cidade. Estou muito feliz de estar aqui em Penedo”, concluiu.

O evento contou ainda com a presença da coordenadora de extensão da Unidade de Penedo da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Milena Dutra, a pró-reitora de Extensão da Ufal, Joelma Albuquerque, representando a reitora Valéria Correia; o presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco (CBHSF), Anivaldo Miranda, o chefe de gabinete da Prefeitura de Penedo, Alfredo Pereira, que representou o prefeito Marcius Beltrão e o coordenador geral do Circuito Penedo de Cinema, Sérgio Onofre, que se emocionou em seu discurso e agradeceu a todos os envolvidos no evento pela sua realização.

Já a pró-reitora Joelma Albuquerque destacou a importância do Circuito Penedo. “Nesse momento de ataque as serviços públicos e corte de recursos, realizar um evento dessa magnitude quando se propaga a cultura do ódio, preconceito, esse evento vem fazer todo o contrario, esse evento propicia a liberdade de pensamento, reflexão filosófica, estética, todos esses elementos são acessados através da arte e aqui especialmente pelo cinema. E vida longa ao Circuito Penedo de Cinema”, comentou.

 

Fonte: Assessoria

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA